Sextalhaça – Fala aí, Palhaço!!!

“Vontade de ser uma pessoa melhor, de me doar mais.”

 14-08 VictorSimples e objetivo, Victor Silva chegou aqui, pela simples força de vontade, e o que é melhor é que ele tem apenas 20 anos e já percebeu o caminho do bem.

Não sabe quem é? Vou dar apenas duas dicas, seu Dr. Já virou seu nome próprio e ele usa um bigodão. Ficou fácil não é?

Dr. Mário como é mais conhecido no meio palhaçistico é um dos mais aplicados, onde chamar ele vai, diz não ter uma vida social muito ativa e com isso sobra mais tempo para as visitas, sejam elas em hospitais, asilos e orfanatos, como ele não tem tempo ruim.

 Dr. Mário é muitas vezes feito de vassoura pelos seus cabelos de cachinhos e pela sua falta de peso, outras vezes é feito de homem bala, mas sempre disposto e com muita alegria de encarar qualquer desafio que lhe é proposto.

Suas roupas coloridas e seu bigode fazem dele um Dr. Mário perfeito só falta o Yoshi seu melhor amigo, já na Ong um palhaço muito companheiro e que não é um cavalinho é Dr. Bacana, que lhe convidou a participar da nossa festa.

Sua moradia fixa além de ser na zona Leste é no Hospital do Servidor onde faz suas visitas aos domingos com sua trupe de palhaços amigos.

Especialista em bolas de sabão, redondas, voadoras e transparentes, acredita que a falta de noção do seu palhaço faz dele um grande atrapalhado, mas muito querido, ser amigo do Dr. Mário é muito fácil, é só querer ser!!!

Sua dedicação dentro da Ong e em suas visitas é bonito de se ver, alguém que realmente se importa com o próximo e em ajudar quem necessitar, seja lá um abraço ou um sorriso, ou até mesmo uma partida de vídeo game.

Lembro-me muito bem que antes Dr. Mário saia arrastando um controle pelo seu avental, uns arriscavam umas jogadas perfeitas que Dr. Mário fazia questão de representar, afinal gosta muito de jogar RPG.

E por que Dr. Mário? Isso será sempre um mistério, mas para ele é simples a resposta: Saiu!!! Assim como sai um espirro… mario

Neste menino-homem há simpatia pra dar e vender, e sabe o que ele me contou que mais marcou dentro desse lugar? “O companheirismo e aceitação”. Diga-me se não tem como não aceitar uma figura dessas???

 Juliana Praia

Anúncios